BH: Pratos da Itália estão muito bem representados

BH: Pratos da Itália estão muito bem representados

É quase impossível listar todos os pratos da cozinha italiana, incluindo aperitivos, queijos, massas diversas, molhos, sopas, carnes, saladas e sobremesas, então este tipo de experiência culinária são sempre extravagantes.

O Italiano se orgulha de sua cozinha, e a culinária country tem a capacidade de inspirar entusiasmo em todo o mundo. Os pratos típicos representam as cidades do país de norte a sul, passando por ilhas como a Sardenha e a Sicília. Para os chefs italianos que usam produtos artesanais de alta qualidade, receitas antigas e criações pessoais inspiradas nos tempos modernos, a gastronomia é um trabalho sério.

Em Belo Horizonte, conhecer e experimentar os restaurantes dedicados à cozinha do país europeu envolve sensações que vão desde o ambiente com referências à cultura até sentimentos sensoriais, que incluem sentar-se em lugares aconchegantes ao lado de pés de limão, louro, jaboticaba e mexerica, como no Villa Celimontana Ristorante, localizado no bairro Lourdes, na região Centro-Sul da capital mineira.

O chef Marco Orsini, há 12 anos em BH, destaca que tudo é pensado para transportar o cliente para uma experiência mais próxima possível de estar em um restaurante na própria Itália.

“Queremos proporcionar e impressionar pela criatividade de sabores, deliciosos aromas e um mix de cores por meio do ambiente e nossos pratos”, explica o italiano, que já cozinhou para estrelas hollywoodianas, entre elas a atriz Julia Roberts e o ator Tom Cruise. Arte artesanal O cultivo dos ingredientes e a maneira de manipulação deles são o que torna a tradição da cozinha italiana com características reconhecidamente únicas.

Mas, apesar disso, existem diferenças que variam de região para região, de acordo com o clima, ventos, solo e técnicas de cultivo. Só em variedades de pão, por exemplo, são mais de 300 tipos. Os italianos são fiéis às receitas tradicionais, e uma característica comum entre eles é a arte de produzir tudo artesanalmente, seja na cozinha de casa ou dos restaurantes.

O chef Simone Paratella afirma que, mesmo tão longe da terra natal, é importante buscar ingredientes que garantam o verdadeiro sabor italiano em Belo Horizonte. No restaurante Pasta Lab, localizado no bairro Funcionários, na região Centro-Sul, Paratella conta que para as massas, por exemplo, “os frutos do mar são comprados vivos, diretamente de um fornecedor de Santa Catarina, o que garante alta qualidade e a possibilidade de seguir fielmente a tradição italiana”, explica o chef.

Pizza margherita primavera

A margherita primavera é a mais tradicional pizza italiana. Em Belo
Horizonte, o restaurante La Vera mantém a tradição de utilizar ingredientes
fundamentais da cultura gastronômica italiana, entre eles a farinha italiana, o
molho pelati, o queijo de búfala e azeite evo. Esses elementos estão presentes
mesmo em versões contemporâneas da pizza.

La Vera Pizza Italiana

Chef Leonardo Fontanelli

Rua Pium-í, 784, Cruzeiro

R$ 78

Stracotto alla fiorentina

Prato típico de Florença, capital da região da Toscana, em que a carne –
geralmente acém ou músculo – é braseada a 160°C, ao vinho tinto Chianti,
por quatro horas, até quase se desfazer. O método garante sabores únicos ao
prato, que vem acompanhado de polenta, especialmente durante o inverno.

Est! Est!! Est!!! Ristorante Italiano

Chef Simone Biondi

Av. Getúlio Vargas, 107, Funcionários

R$ 86

Pasta alla carbonara

O seu nome vem da palavra italiana “carbone”, que significa “carvão”. É uma
receita criada pelos mineiros de carvão dos montes Apeninos, na região
italiana da Úmbria. Por ser um prato muito prático, saboroso e nutritivo, era
uma refeição completa para os trabalhadores dessa região. Reza a lenda que a
pasta era feita dentro da mina, usando-se o fogo do carbureto para cozinhar a
massa e capacetes como panelas.

Cantina Piacenza

Existem várias versões de receitas e da história de origem dessa delícia
italiana, mas uma coisa é unânime: a combinação de bacon, vinho branco,
salsa, parmesão, pimenta-do-reino, água do cozimento da massa emulsionado
com um ovo é maravilhosa.

Chef Americo Piacenza

Rua Rio Grande do Sul, 1.236, Santo Agostinho

R$ 52

Gnocchi al pesto

O segredo do gnocchi italiano está no molho. Nesse prato o pesto genovês é
típico da região marítima da Ligúria, no norte da Itália. Na mesma região, a
cidade Albenga, próxima de Gênova, é uma grande produtora de manjericão
e outras ervas, garantindo a produção do verdadeiro pesto.
Outros ingredientes, como pinhão, queijos, azeite extravirgem e alho, fazem
parte da receita, que precisa ser elaborada cuidadosamente. O chef Simone
Paratella garante que o jeito de triturá-los e aquecê-los faz toda a diferença
no prato.

Restaurante Pasta Lab

Chef Simone Paratella

Rua Fernandes Tourinho, 235, Funcionários

R$ 72

Tiramisù

O tiramisù é uma sobremesa famosa em todo o mundo, mas foi criada na
região da Toscana. O doce leva um ingrediente amado por muitos mineiros, o
café. Seja em grãos ou em pó de café mais expresso ou do tipo forte, o item
deixa o sabor divinamente perfeito.

Villa Celimontana Ristorante

No Villa Celimontana, no lugar do queijo mascarpone, a receita leva queijos
de várias regiões de Minas para deixar a sobremesa com mais intensidade de
sabor, além de cafés do Cerrado mineiro, que deram ao tiramisù da casa um
sabor mais delicado e com menos amargor.

Chef Marco Orsini

Rua Marília de Dirceu, 226, Lourdes

R$ 22

Via: O Tempo