BH ganhará um inédito ‘Circuito dos Mercados’

BH ganhará um inédito ‘Circuito dos Mercados’

O Grupo Uai, que conquistou o patrocínio da Fundação Doimo, integra o grupo de empresas que conquistou os quatro direitos de gestão de mercado do governo da capital, sendo oito espaços dedicados à promoção do desenvolvimento económico local.

Além de participar da gestão do Mercado do Cruzeiro e Feira do Bairro São Paulo / Central de Abastecimento Municipal (CAM), a empresa também administrará o mercado regional Santa Tereza, na zona leste da capital, e a feira Padre Eustáquio, na capital. noroeste.

Em julho do ano passado, as duas cidades fizeram concessões pela prefeitura. Projetos futuros do Grupo Uai também farão parte do market tour, como o mercado original na orla da BR-356 no bairro Olhos D’Água, e outros espaços que serão construídos futuramente. ano

“Faremos um grande circuito de mercados que vai respeitar as especificidades de cada um deles em relação às populações da região. Para o Mercado do Cruzeiro, por exemplo, queremos reforçar o forte caráter da gastronomia mineira. Queremos que BH seja a capital a agregar o interior de Minas, transformá-la em um grande polo de distribuição da agricultura familiar, do artesanato, da culinária regional”, ressalta Bernard Martins, vice-presidente da Fundação Doimo.

Mercado de Santa Tereza

No que diz respeito à restauração do mercado de Santa Teresa e Feira do Padre Eustáquio, que foram encerradas há 14 anos, a Prefeitura de Belo Horizonte anunciou que o edital exige uma reforma de um ano e meio na primeira local, que levará 19 meses de serviço. Ao todo, quatro empresas participaram do consórcio que conquistou o mercado de Santa Teresa e da feira Padre Eustáquio.

Espaços aptos a abrigar polos gastronômicos

Aliar tradição e modernidade é a prioridade do consórcio, que vai revitalizar os quatro mercados municipais de BH afetos à iniciativa privada, que é defendido por Bernardo Martins, Vice-Presidente da Fundação Doimo.

“O que podemos oferecer são melhorias infraestruturais e uma gestão macro. Queremos resgatar a cultura dos mercados em Belo Horizonte e otimizar a gestão com a expansão do mix de produtos oferecidos”, afirmou o executivo.

“Depois que realizarmos as primeiras intervenções, pensaremos em uma segunda etapa que gira ao redor da ideia de expansão do mercado dentro da área disponível. Provavelmente, será a criação de um mezanino na estrutura já existente e com caráter de polo gastronômico”, diz Martins.

Via: O TEMPO